Prefeitura corta verba de ônibus e alunos do IFMA ficam no sufoco

0

Os alunos são do Ensino Médio,  Campus Codó do Instituto Federal do Maranhão, e   estão reclamando porque antes circulavam até 5 ônibus, desde a última sexta-feira, 2, tudo mudou segundo o jovem Ivo Stênio Teixeira Mendes.

 “Antes estava sendo 5 ônibus, as vezes alternava 4 e hoje tá sendo vamos dizer 3 ônibus e estes 3 ônibus não tá dando”, disse.

Instituto Federal do Maranhão Campus Codó
Instituto Federal do Maranhão Campus Codó

Os  ônibus a menos, na reclamação do estudante, eram pagos pela prefeitura todo ano entre agosto e dezembro, só que este ano a prefeitura parou de pagar antes do fim do ano letivo. Resultado,  o transporte deixou de circular entre o Instituto, que fica em área rural,  e a cidade.

“Falta de pagamento pra eles, sem pagamento não dá, logo pra eles que rodam todo dia (…)ontem mesmo nossa turma estava liberada, só que a gente teve que ficar esperando até 5h30 porque meio dia é pago…QUANTO É QUE PAGA? R$ 2,00”, respondeu o estudante de Agropecuária André Zoroastes

Como disse Ivo Stênio hoje só circulam 3 ônibus, que do próprio Instituto,  para transporta os cerca de 400 alunos que fazem Ensino Médio. Nós ouvimos a direção a respeito do assunto, informou que esta foi a solução emergencial encontrada porque não fora avisada, previamente, de que ficaria sem a parceria com o município.

DISTANTE DE CASA

Desde então, quando chegam à cidade os 3 ônibus do IFMA não passam mais perto da residência dos alunos, para economizar combustível e fazer mais  viagens por causa da quantidade a ser transportada todos os alunos aqui precisam descer ou subir na avenida principal.

“Eles estão passando só na avenida principal e quem mora mais afastado tem que acordar mais cedo vir a pé, 6h, corre o risco de ser roubado”, reclamou Francisco Lucas Amorim.

Sem os ônibus da prefeitura os da instituição só viajam com superlotação, denunciam os estudantes.

“De tanta gente vai até gente pelo lado de fora dos ÔNIBUS porque as esportas de trás e a da frente ficam abertas ai tem gente segurando na porta pra poder vim, é tipo, a gente tem que se encaixar, ver uma vaguinha a gente tem que tá entrando pra poder ir pra casa”, explicou Railson Figueiredo

PALAVRA DA DIREÇÃO

O diretor de administração e planejamento do IFMA, Sebastião Santos,  disse que a instituição tem ciência do que vem ocorrendo, mas que a  situação foi explicada aos alunos, inclusive com todas as possíveis consequências.

“É óbvio que iria vir superlotado e não daria para atender todas as comunidades, eles teriam que se deslocar de determinado ponto até a parada de Ônibus para pegar esses ônibus o que, para alguns alunos,  é muito dificultoso (…) mas foi a única forma que a gente achou pra amenizar a situação deles”, afirmou

O diretor também afirmou que a instituição tentará reafirmar a parceria a partir de 2017 com o governo de Francisco Nagib e Ricardo Torres.

Esta situação deve perdurar até o dia 20 ou um pouquinho mais, quando pretende-se encerrar o ano letivo.

NA PREFEITURA

Nós estivemos com a secretária de Educação, Rosina Benvindo. Ela preferiu não se manifestar sobre o assunto alegando que o responsável pelos setor de transporte é Rogério Albuquerque, o Rogério Cobel, para quem telefonamos, mas não fomos atendidos.

VIABlog do Acélio
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA