Timbiras ganhou sua própria Agência da Previdência Social em abril de  2013, um avanço para os cidadãos que dependiam de cidades vizinhas para requererem benefícios previdenciários, mas também é fato que eles, desde então, se depararam com um velho problema que atinge muitas cidades do interior do Maranhão.

Agência do INSS de Timbiras | Foto: ÉMARANHÃO

O problema é falta  de médico perito, aquele profissional que avalia, quando a legislação exige, se a pessoa tem mesmo aquela doença que autoriza a concessão de determinado benefício. Se o timbirense precisar de perícia, já sabe, automaticamente, que terá que viajar.

E as opções de local para realizar perícia são bem distantes. A cidade mais próxima deles é Caxias  e é preciso contar com a sorte para encontrar vaga num prazo que pode chegar a 3 meses de espera.

 “No caso se a gente precisar a gente precisa ir pra fora, sair da cidade, pra longe pra conseguir…CAXIAS, TIMON OU SÃO LUIS…ou São Luís…É MUITO DISTANTE PRA VOCÊS? Com certeza”, respondeu o lavrador Reinaldo Moreira

Ainda existe outra dificuldade, se o benefício for aprovado (deferido) na cidade onde o pedido foi protocolado é lá mesmo onde fica o timbirense recebendo o dinheiro, ou seja, mais viagens, mais gastos.

 “é  mais cansativo, a situação financeira enfraquece se tivesse um coisa mais pertinho era melhor porque facilita muita coisa pra gente …E O SENHOR JÁ PERDER A  ESPERANÇA? Ainda não porque a esperança é a última que morre”, reclamou o aposentado José Lima Dutra

É um desgaste físico e o bolso de quem já chega à agência de Timbiras bem fragilizado se torna um empecilho a mais para continuar lutando pelo benefício, como reclamou dona Maria Florença.

“Porque as pessoas nunca tem a condição de ter muito dinheiro, né, sempre economizando, pechinchando e com esse pouco dinheiro que a gente tem pra pagar passagem e pagar consulta já é uma coisa, um gasto a mais….SE O PERITO TIVESSE AQUI? Não tinha que gastar nada…RESOLVIA LOGO? Resolvia logo”

 O gerente da APS de Timbiras, Ademir Marques, disse que não podia gravar entrevista, mas sustentou que tomou medidas para minimizar as dificuldades. Uma delas foi protocolar o pedido em Timbiras, realizar a entrevista e  só agendar a perícia para Timon ou Caxias, isso faz com que o pagamento do benefício, se aprovado, aconteça em Timbiras mesmo, evitando novas viagens. Quanto ao médico perito, disse que não há previsão de quando a agência terá um disponível.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA