O jornalista Alberto Barros disse nesta sexta-feria, (5),  que fora questionado por seus ouvintes a respeito da situação de zeladoras e vigias que prestam serviço público para o município de Codó via empresa terceirizada.

Imagem meramente ilustrativa

Ventilou-se a notícia de que elas ficarão 2 meses sem receber salários. O apresentador do programa matinal Cidade Notícias ouviu o secretário de Finanças, professor Ivaldo José da Silva, sobre este assunto. Disse o secretário que as zeladoras  trabalharam até 22 de dezembro de 2017 e só serão recontratadas em fevereiro de 2018 quando do retorno das aulas por orientação da Secretaria de Educação.

Neste período sem trabalho  não haverá, realmente, qualquer pagamento.

“Na verdade o contrato das zeladoras que não são mais servidoras do Município de Codó, mas sim funcionárias de uma empresa privada, eles findaram aí dia 22 de dezembro e serão novamente contratadas, acredito eu que em fevereiro, segundo informação do secretário de Educação, então nesse tempo de dezembro até o mês de fevereiro não terá, boa parte delas atividades. Não tendo atividade não tem contrato, automaticamente você não tem débito para com os funcionários, não tem débito para com esta empresa terceirizada, não tem o pagamento de salário, retornando aí no mês de fevereiro, segundo informação da própria Secretaria de Educação”, explicou

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA