Dívida da Prefeitura de Codó com restaurante que abastece PM no KM 17 é de R$ 3.000,00

Os moradores já contabilizaram uma semana sem policiamento no posto do KM 17, o segundo distrito rural de Codó com maior quantidade de habitantes – são mais de 6 mil vivendo às margens da BR- 316.

Posto Policial do KM-17.

“Tem que ter a polícia….POR QUE QUE TEM QUE TER A POLÍCIA? Porque a polícia defende a gente, defende as pessoas’, disse dona Rosalina dos Santos ao ser questionada sobre a ausência.

O povoado tem um comércio ativo que vive debaixo do ataques dos arrombadores. O supermercado de seu Juarez Rocha da Silva, seu Chiquito,  já foi alvo dos  ladrões 6 vezes, um prejuízo de R$ 17.000,00 que vem se acumulando.

 “R$ 17.000,00…DEZESSETE MIL REAIS? R$ 17.000,00, só da primeira vez eles levaram R$ 5.000,00, só de real  levaram R$ 2.000,00 que eu tinha trocado, eles levaram, fora mercadoria, ultimo que fizeram aqui levaram inchada, picareta, pá, fizeram um arrastão mesmo, o maior arrastão que já teve…O RETORNO DA POLÍCIA É URGENTE? É”, respondeu

DÍVIDA DE COMIDA – R$ 3.000,00

A comunidade informou que os policiais deixaram de  trabalhar porque não tem onde se alimentar. Nós conversamos com a dona do restaurante Bode Assado que fornece o alimento para o policial que vem dá plantão aqui no KM 17.

Dona Francisca  disse que nunca proibiu ninguém de continuar se alimentando porque, normalmente, paga-se um mês e fica um pendente, mas que existem, sim, dois meses em atraso porque a data de pagamento é 11 de cada mês.  A dívida da prefeitura de Codó é  de R$ 3.000,00.

O  mototaxista Francisco Sousa criticou

“Tem que ter a polícia, mas tem que ter a polícia pra ele, como é que eles vão trabalhar com fome. Eles vão trabalhar o dia todinho e vão almoçar em casa? Em Codó, em Caxias seja lá…FICA DIFÍCIL PRA PM? Mas tem que ter a polícia aqui (…) De vez em quando tá tendo assalto na rua, o cabra toma celular no meio da rua aí, tendo a polícia bem aí, e se não tiver a polícia?”, questionou

O aposentado José Ribamar dos Santos disse que sem a Polícia a insegurança aumenta.

 “e agora principalmente que não tem de jeito nenhum como é que vai fazer, os malucos vão fazer…E NA HORA DO SOCORRO? Cuma, não tem porque a gente confia é na polícia”, respondeu

O QUE DIZ A PM 

O comando da PM informou que o motivo da ausência dos policias no povoado é outro. Segundo o tenente-coronel Jurandir der Sousa Braga a causa é falta de efetivo. Sobre a comida, disse desconhecer o problema pois nunca foi notificado pela dona do restaurante.

 “Na verdade o nosso policiamento não está indo esses dias pro KM 17 em virtude do festejo de São Francisco que houve neste final de semana e a gente precisa deslocar um policiamento de um lugar pra cobrir um outro lugar, pra cobrir um evento, mas ainda esta semana nós estamos retornando o policiamento no 17″, prometeu

O PREFEITO FALOU

O prefeito Francisco Nagib reconheceu que existe a dívida junto ao restaurante que atende aos policiais mas afirmou que ela será paga, o atraso se deve apenas à dificuldades financeiras pelas quais passa a prefeitura de Codó que tem muitas outras obrigações incluindo algumas de responsabilidade do governo estadual.

Disse que se não puder mais pagar os meses seguintes e o Estado não puder assumir, oferecerá alimentação que é servida no Hospital Geral Municipal como já acontece para os guardas municipais e para os  servidores do SAMU que ficam de plantão para que a comunidade do Km 17 não fique sem policiamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *