Prefeitos do Maranhão querem eleição só em 2022; TSE descarta mudança

Urna eletrônica

Uma carta aberta, direcionada ao Congresso Nacional e assinada conjuntamente por entidades municipalistas, entre elas, a Federação dos Municípios do Maranhão e Confederação Nacional de Municípios, revelou que no Maranhão, parte dos prefeitos defendem algo muito vantajoso para os péssimos gestores que estão no mandato e temem uma disputa nas urnas.

No documento (veja aqui e aqui), após elencar os motivos relacionados à pandemia causada pelo novo coronavírus, a carta termina com o pedido para não realização das eleições em outubro, um bônus de dois anos de mandato para todos os gestores e a unificação das eleições em 2022.

Na prática, pelo menos no Maranhão, a tese não ganha muita força, já que a população clama por eleição, principalmente em municípios sofridos pela péssima gestão de alguns prefeitos, e já que, para alguns ações, a vida segue normal, com aglomeração ou sem aglomeração, como é o caso do pagamento do auxilio emergencial.

Já no TSE – Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Luís Roberto Barroso tomou posse como presidente, nesta segunda-feira (25), e descartou prorrogar mandatos e adiar as eleições municipais para o próximo ano, ou 2022.

A declaração foi um balde de água nos prefeitos que tentam ganhar dois anos no grito..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *