Presidente do SINPROESEMMA segue firme em defesa dos direitos dos Associados e Associadas

Presidente Raimundo Oliveira e Diretoria de Representação dos Núcleos Municipais Janice Nery

O Presidente do SINPROESEMMA (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação Básica Pública no Maranhão)  Professor Raimundo Oliveira iniciou o ano mobilizando a categoria para a campanha salarial 2020.

De acordo com Oliveira 2019 foi um ano de muita luta e resistência dos trabalhadores e trabalhadoras em todo o Brasil por conta dos ataques aos Sindicatos e aos direitos estabelecidos na Constituição.
Na campanha salarial de 2019 no Maranhão o Sindicato destaca alguns itens que foram atendidos pelo governo do Estado, entre os quais, unificação de matrículas, celeridade nas portarias de aposentadoria, conclusão de obras e ampliação de reforma de escola, implantação do Batalhão Escolar em São Luís, garantia de aposentadoria especial para professores, não adesão ao programa Escola sem Partido.
O Presidente do SINPROESEMMA também lembra os pontos não atendidos, principalmente os relativos à pauta financeira.
A avaliação é que houve prejuízos aos trabalhadores em educação por conta da não concessão do reajuste salarial de 2019 ( 4,17%), além de titulações, progressões e promoções estabelecidos expressamente no Estatuto do Magistério.
Ao final de 2019 a Diretoria do Sinproesemma aprovou a pauta de reivindicação para a Campanha Salarial 2020 que será apreciada pela categoria em Assembleias Regionais que acontecerão de acordo com o início calendário letivo.
A pauta está composta de 15 itens e aborda os principais pontos que não foram atendidos em 2019, tanto os de políticas permanentes, assim como os de valorização, somados a outros itens da atual conjuntura da educação.
“Enxugamos a pauta de 2019 para 15 pontos e iniciaremos as assembleias regionais e assim ir à luta pela garantia dos nossos direitos. É importante frisar que é extremamente necessário a união da nossa categoria, dos trabalhadores em educação para fazer o diálogo e só mesmo tempo a luta para assegurar os direitos dos profissionais da educação com muita responsabilidade.”, finalizou Oliveira.
Fonte: Blog Marden Ramalho

1 Comment

  1. Só se ele teve aumento de salário ano passado se o governador assinou o documento com temer.
    Desde 2015 nenhum funcionário teve aumento,mentiroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *