Refletir sobre as cinzas – cabe sempre

João Baptista Herkenhoff

João Baptista Herkenhoff
Cabe refletir sobre as cinzas não apenas no tempo da Quaresma, quando a imposição das cinzas, na fronte dos fiéis, marca o início dessa quadra do calendário.

A lição das cinzas é uma lição de vida.

O ritual das cinzas assusta algumas pessoas. O celebrante, fazendo uma cruz, coloca partículas das cinzas na testa dos fiéis, que se postam em fila. Não são as cinzas que causam arrepio, mas a frase fúnebre, pronunciada em tom soleníssimo:

“Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris.” (Lembra-te, homem, de que és pó e em pó te hás de tornar).

Algumas Igrejas Cristãs, que guardam a Quaresma, não adotam o ritual das Cinzas, uma tradição que leva milhões de pessoas às igrejas, pelo mundo afora.

Estamos em tempos de Ecumenismo. Temos no Vaticano um Papa profundamente ecumênico – Francisco, apenas Francisco – não Francisco I, igual os reis e os imperadores.
Todos os cristãos devem dar as mãos para construir um mundo mais humano. O Cristo pediu a unidade, o Cristo quer a unidade, o Cristo é a unidade.

Para além do domínio cristão, creio que celebram a memória do Crucificado, mesmo sem pronunciar Seu Santo Nome (Mateus, 7, 21), todos aqueles que abominam as exclusões e as discriminações, todos que lutam para construir um mundo de Fraternidade.

A Igreja Católica e outras Igrejas Cristãs – Igreja Luterana, Igreja Presbiteriana, Igreja Anglicana – celebram, durante o tempo da Quaresma, a Campanha da Fraternidade.

Um tema é escolhido para a campanha e uma frase serve de mote para inspirar a reflexão dos fiéis.
Se recapitularmos os temas dos anos pretéritos, concluiremos que são sempre temas ecumênicos, pedagógicos que contribuem para a construção de um mundo mais fraterno.

Viva o Ecumenismo, viva a Tolerância, viva o Diálogo, viva o Abraço dos Opostos.
Abaixo o ódio religioso, político, partidário, racial.

É hipócrita toda aquela pessoa que se ajoelha no banco de qualquer igreja cristã e pretende ser dono da verdade, iluminado, sábio, e despreza todos aqueles cujo pensamento é diferente do seu pensamento.

João Baptista Herkenhoff é juiz de Direito aposentado (ES), palestrante e escritor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *