Saúde destina mais R$ 600 mi para ações de combate à pandemia

Luiz Henrique Mandetta

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quarta-feira (25/03), a liberação de mais R$ 600 milhões para estados e municípios reforçarem o plano de contingência para o enfrentamento da Covid-19. A orientação é que cada estado discuta e defina junto aos seus municípios quais valores serão destinados para cada um. O recurso poderá ser utilizado em ações de assistência, inclusive, para abertura de novos leitos ou custeio de leitos já existentes nos estados e municípios.

“Nós vamos repassar R$ 600 milhões aos municípios de acordo com a pactuação local. Cada estado vai fazer hoje a sua divisão, de como vai fazer a alocação dos recursos e informar amanhã ao Ministério da Saúde, dentro das orientações que nós demos, quais são os municípios onde terão atendimento de maior complexidade. A partir disso, a gente repassa o recurso para que os municípios utilizem da melhor forma possível no que houver necessidade”, explicou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A distribuição do recurso é proporcional ao número de habitantes de cada estado, que precisa definir os locais que terão atendimento de maior complexidade e, com isso, maior necessidade de reforço orçamentário. São, no mínimo, R$ 2 e, no máximo, R$ 5 por habitante. Na semana passada, o Ministério da Saúde já havia destinado R$ 432 milhões para auxiliar os estados e municípios no enfrentamento da pandemia.

O ministro da Saúde reforçou a importância do uso racional do sistema de saúde e das ações de prevenção nesse momento. “É importantíssimo que façamos bom uso do sistema de saúde, por isso é preciso prevenir aquelas doenças que concorrem com leitos de CTI. A vacina contra a influenza é um instrumento para isso, principalmente para os idosos, já que os vírus das influenzas, como H1N1, levam tanto quanto ou até mais pessoas para os serviços de CTI no Brasil”, destacou o ministro.

Mandetta reforçou, ainda, as medidas de prevenção. “Qualquer pessoa resfriada, gripada: evite o contato com outras pessoas. Mantenha a higiene das mãos para que a gente possa ter uma somatória de ações que nos dê equilíbrio para podermos atravessar esse momento de muito estresse para as pessoas e para o sistema de saúde”, concluiu. “Nós não vamos mudar um milímetro do foco na vida. Nós vamos focar na vida das pessoas durante todo esse período. Não vamos perder o foco que nós já construímos e estamos todos muitos conscientes, no foco da proteção da vida”, concluiu o ministro da Saúde.

Outros R$ 400 milhões já haviam sido enviados a todos os estados do país neste mês para serem utilizados conforme a necessidade do enfrentamento à doença. A distribuição também foi proporcional ao número de habitantes de cada estado, sendo R$ 2 per capita.

ISOLAMENTO SOCIAL

Sobre as medidas para contenção do coronavírus, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacou a necessidade de um trabalho coletivo, com órgãos diversos. “Quarentena sem prazo determinado para terminar vira uma parede na frente das necessidades das pessoas que precisam comer, que precisam abastecer suas casas, que precisam ir aos supermercados e que precisam ir e vir, porque isso faz parte da própria sobrevivência”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *